The Pilates Fitness

Pilates na Terceira Idade

20/09/2016 15:35:13
...

Segundo o censo de 2010, o Brasil avança rumo a um perfil demográfico cada vez mais envelhecido, com aumento na quantidade de idosos. Devido aos avanços da medicina, entre outros aspectos, a expectativa de vida do brasileiro tem se tornado cada vez maior, para 2050 o IBGE projeta 81 anos. O envelhecimento é um processo involuntário e inevitávelque provoca perda estrutural e funcional progressiva no organismo, como deteriorações da capacidade funcional, perda damassa e força muscular decorrente principalmente da sarcopenia, perda da massa óssea e da produção hormonal, lentidão no tempo de reação, os quais são fatores de risco que levam a perda de autonomia e aumento nos riscos de queda. Levar a vida de forma independente, autônoma, ser capaz de fazer suas tarefas básicas da vida diária é um aspecto fundamental para manutenção da qualidade de vida dos idosos. Contudo, para que o idoso possa ter autonomia, é necessário que mantenha sua aptidão física. A prática de atividade física parece ser uma estratégia para manutencão da autonomia, melhoria da capacidade funcional, diminuição dos riscos de queda e, consequentemente, melhoria da qualidade de vida. Segundo o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dosEstados Unidos (CDC), indivíduos idosos devem fazer atividades de força muscular (duas vezes por semana ou mais que envolva a maioria dos grupos musculares) e aeróbicas (pelomenos 150 minutos de atividade de intensidade moderada ou 75 minutos de intensidade vigorosa ou uma combinação dessas duas, por semana), com o objetivo de reduzir o risco de mortalidade por todas as causas, doenças coronarianas, infarto, hipertensão e diabetes tipo2. Dentre as diversas possibilidades da atividade física, o método Pilates se tornou uma modalidade popular nos últimos anos. Tal método surgiu como uma forma popular de melhoria da força e do condicionamento geral para pessoas de todas as idades e,atualmente, tem sido usado como auxiliar na reabilitação de lesões e de curso de pilates na terceira idade.Segundo diversos autores, tal método acarreta benefícios como o aumento da densidade mineral óssea, mudanças positivas na composição corporal, melhoria da força e resistência muscular, coordenação, equilíbrio e flexibilidade.Tendo em vista os benefícios descritos anteriormente e a prática individualizada, o que reduz os riscos de eventuais lesões, esse método tem sido bastante indicado para idosos. Contudo, são escassos os estudos de revisão sistemática, em especial aqueles que avaliam a qualidade metodológica das pesquisas, no sentido de verificar as evidências para tomadas de decisões sobre o uso do método nos programas de atividades físicas voltadas para a saúde dos idosos. Nesse sentido, o objetivo do presente estudo é verificar os efeitos do método Pilates nos parâmetros da aptidão física, funções fisiológicas e cognitivas em idosos.

Resultados Após a busca nas diferentes bases de dados, foram identificados 170 artigos. Desses, 83 foram excluídos por serem duplicados, 53 foram descartados em função de o título não relacionar o artigo aos objetivos da presente revisão. Além disso, 13 foram excluídos após a leitura dos resumos. No fim do processo de seleção, 21 artigos preencheram os critérios de inclusão e compuseram a revisão sistemática, conforme mostra o fluxograma (fig. 1). Os 21 estudos incluídos na pesquisa obtiveram escore por meio da avaliação da sua qualidade com o Checklist Downsand Black, que variou de 10 a 19 pontos dos 28 possíveis de alcançar (média 14,76 DP 2,12). Os estudos que obtiveram maior pontuação foram os de Bird et al. e Mallery et al., com19 pontos, e os artigos com menor pontuação foram os estudos de Kaesler et al., Newell et al. e Ruiz-Montero et al., com 12 pontos cada. Os critérios de qualidade que apresentaram menor pontuação foram: não descrever claramente os fatores de confusão; não relatar os eventos adversos mais importantes; não apresentar informações sobre o ambiente e os cuidados que a amostra estudada recebeu; não informar-se os sujeitos das amostras eram iguais aos da população em geral; não relatar ajuste para fatores de confusão; não relatar se houve perdas e se tal fato foi levado em consideração; falta de grupo controle para adequada comparação e falta de randomização da amostra. Além disso, nenhum estudo fez cálculo de tamanho amostral ou cálculo de poder. Em relação aos países em que os estudos foram feitos, identificaram-se quatro estudos no Brasil, quatro na Austrália e quatro na África do Sul (19%),dois na Turquia e dois na Hungria (9,5%) e um no Canadá, Inglaterra, Sérvia, Coreia do Sul e Estados Unidos. A tabela 1 sintetiza as principais características dos artigos que compõe o estudo de revisão, bem como objetivo, procedimentos metodológicos e principais resultados. Dentre esses artigos, encontraram-se 16estudos experimentais, quatro quase-experimentais e um observacional, com publicações que variaram de 2003 a 2014. A amostra dos estudos variou de oito a 121 idosos. A idade mínima relatada foi de 60 anos, havendo 12 estudos com amostras compostas por ambos os sexos e nove somente por mulheres. O período de intervenção variou de quatro semanas 18 a 12 meses, com predominância de intervenções de oito (38%) e 12 semanas (9,5%). Em mais da metade dos estudos (n = 11) não houve relato de aumento gradativo da intensidade do exercício de acordo com a evolução do praticante. Os principais efeitos do método Pilates relatados para a faixa etária estudada foram o aumento do equilíbrio, da flexibilidade, da força, modificações positivas na composição corporal, além da melhoria da autonomia funcional e na redução do risco de quedas de idosos.

Quando se trata de avanços na autonomia pessoal, estudos relataram que os exercícios de Pilates promoveram evolução significativa no desempenho funcional de idosas saudáveis, em atividades como vestir a camiseta, levantar-se da posição sentada e deitada22,24e de marcha.20Entretanto, os estudos têm seus achados enfraquecidos em consequência da falta de descrição objetiva de: fatores de confusão, características dos sujeitos das amostras que foram perdidos, cegamento para intervenção e cálculo de tamanho amostral. Quanto à composição corporal, Fourie et al.28relatam que o método se mostrou eficiente na estabilização e até mesmo reversão de implicações corporais do envelhecimento, como na perda de massa magra e, ainda, na normalização e redução da gordura corporal, controlou ou reverteu morbidades associadas à obesidade, como a hipertensão e intolerância à glicose. Em relação a este estudo, vários fatores importantes a se considerar na avaliação da qualidade do artigo não puderam ser determinados pela falta de descrição dos mesmos na pesquisa (representatividade da amostra, cegamento, adesão da intervenção, randomização, controle de fatores de confusão e relato das perdas). Irez et al. encontraram resultados positivos da prática para ganhos de força muscular que, juntamente com aumento ou estabilização da perda de equilíbrio e da flexibilidade, levam à diminuição no número de quedas entre os idosos. No entanto, aspectos importantes de qualidade não estão esclarecidos no estudo, entre os quais a distribuições dos principais fatores de confusão em cada grupo de sujeitos que foram comparados, os possíveis efeitos adversos da intervenção e o cálculo de tamanho amostral. Ainda no tocante a resultados relacionados à composição corporal, Ruiz-Montero et al. relataram que a combinação do método Pilates com exercícios aeróbios mostrou modificações positivas, como redução nas dobras cutâneas, além de evitara perda de massa magra. Apesar de os resultados parecerem promissores, esse estudo21foi o que apresentou a menor pontuação na escala de avaliação da qualidade metodológica entre todos os estudos avaliados (12 pontos). Tal fato inviabiliza a credibilidade das conclusões da pesquisa.Com relação às mudanças posturais, o estudo de Kuoet al. reporta como principal resultado que redução da cifose em pé foi detectada no plano sagital, imediatamente após o programa Pilates. Esse estudo não descreve as distribuições dos principais fatores de confusão em cada grupo de sujeitos, bem como não fez o cegamento deles para a intervenção, não fez randomização e não apresentou cálculo de tamanho amostral. O único estudo a relacionar o método Pilates a variáveis cardíacas e metabólicas foi o de Marinda et al., o qual demonstrou que oito semanas de Pilates não produziram melhoria nas variáveis cardiometabólicas testadas, com exceção da pressão arterial sistólica, a qual apresentou redução. Em nenhum momento os autores descrevem as características da amostra e das perdas do estudo, as distribuições dos principais fatores de confusão em cada grupo de sujeitos, os possíveis efeitos adversos da intervenção, o cegamento dos indivíduos e se houve cálculo de tamanho amostral. Um estudo relacionou mudanças positivas em parâmetros como funcionalidade, estabilidade, mobilidade, equilíbrio dinâmico e estático, força muscular, flexibilidade, entre outros, com melhoria da autoconfiança e redução do medo de cair e do número de quedas em idosos.37Apesar de ser um dos estudos com maior pontuação na avaliação metodológica feita, informações relativas a eventos adversos importantes da intervenção, cegamento dos sujeitos para intervenção, randomização da amostra e cálculo amostral não foram apresentados no estudo. Em conclusão, apesar de os estudos apontarem para benefícios físicos e motores do método Pilates em idosos, não podemos afirmar que o método é ou não efetivo, por causada baixa qualidade metodológica dos estudos que compõem a revisão. Por conseguinte, sugere-se que novos estudos, em especial ensaios clínicos randomizados, sejam feitos, com amostras mais amplas, maior tempo de intervenção e com indivíduos de ambos os sexos. Além disso, seria fundamental um maior controle metodológico, uma vez que a pontuação obtida na avaliação da qualidade dos estudos incluídos na presente revisão sistemática foi baixa, em especial as que se referiram à inclusão de grupo controle, ao ajuste a fatores de confusão, à informação sobre os eventos adversos importantes, ao cálculo de tamanho amostral e ao poder e relato sobre perdas.Também indica-se a realização de estudos que comparem o método Pilates com outros tipos de exercício físico, bem como pesquisas que confrontem os exercícios do método feitos no solo com os que usam acessórios e/ou aparelhos.

Bibliografia

1. IBGE. Censo 2010. Disponível em: http://www.ibge.gov.br.[acessado em 27 de fevereiro de 2015].
 
2. WHO. Active Ageing–A Police Framework. A Contribution ofthe World Health Organization to the second United NationsWorld Assembly on Aging. Genebra: WHO; 2002.
 
3. Sherrington C, Whitney JC, Lord SR, Herbert RD, Cumming RG,Close JC. Effective exercise for the prevention of falls: asystematic review and meta-analysis. J Am Geriatr Soc.2008;56:2234–43, 2008.
 
4. Hong W, Cheng Q, Zhu X, Zhu H, Li H, Zhang X, et al.Prevalence of sarcopenia and its relationship with sites offragility fractures in elderly Chinese men and women. PLoSOne. 2015;14(10):9.
 
5. Cederholm T, Cruz-Jentoft AJ, Maggi S. Sarcopenia andfragility fractures. Eur J Phys Rehabil Med. 2013;49:111–7.
 
6. Narici M, Maffulli N. Sarcopenia: characteristics, mechanismsand functional significance. British Medical Bulletin.2010;95:139–59.
 
7. Ferreira OGL, Maciel SC, Costa SMG, Silva AO, Moreira MASP.Envelhecimento ativo e sua relac¸ão com a independênciafuncional. Texto Contexto Enfermag. 2012;21:513–8.
 
8. Cerullo F, Gambassi G, Cesari M. Rationale for antioxidantsupplementation in sarcopenia. J Aging Res. 2012:1–8.
 
9. U.S. Department of Health and Human Services (UnitedStates). 2008 physical activity guidelines for Americans.Washington, DC, U.S. Department of Health and HumanServices. Disponível em: www:health.gov/paguidelines/guidelines/chapter5.aspx. [acessado em 10 de junho de 2015].

 

Gostou?

Acesse nosso facebook https://www.facebook.com/FisioFitnessPilates/ curta, compartilhe nossos posts.

Nosso canal no Youtube https://www.youtube.com/channel/UC_bdG719cfjaSbcLicmsaqA

#pilates #thepilatesfisiofitness #pilateslovers #saúde #pilatesbrasil #contrologia


nossos Cursos de Pilates - Curso de Pilates CompletoPilates na GestaçãoPilates na Terceira IdadePilates Suspenso http://www.thepilatesfisiofitness.com.br/

 

Outras Notícias